CRAS

CRAS – Centro de Referência de Assistência Social – SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

O Centro de Referência de Assistência Social – CRAS é uma unidade pública estatal de base territorial, localizada em áreas de vulnerabilidade social. Executa serviços de proteção social básica, organiza e coordena a rede de serviços socioassistenciais, locais da política de assistência social. Dada a sua capilaridade nos territórios se caracteriza como principal porta de entrada dos usuários à rede de proteção social do Sistema Único de Assistência Social – SUAS.

Usuários: Indivíduos e famílias em situação de vulnerabilidade e risco pessoal, que habitam o território de abrangência do CRAS.

Objetivo Geral: Prevenir a ocorrência de situações de vulnerabilidade e risco social nos territórios, por meio do desenvolvimento de potencialidades e de aquisições, do fortalecimento de vínculos familiares e comunitários e da ampliação do acesso aos direitos de cidadania.

Endereço: Rua: Hachel -272 centro
Horário de funcionamento: 7 as 11 e de 13 às17 horas
Telefone de contato: (38) 3614 15 70
E-mail: acaosocialmtv@gmail.com.br
Coordenadora: Laura Cristina Flores da Mota

Profissionais:

Equipe técnica:

Rosilane Rodrigues Fraga – Assistente Social

Sandra Maria Pimenta Santana
Daniela Cristina T. Silveira (Psicólogas)

Daniela Alves Pinto Abreu (Terapeuta Ocupacional)

EQUIPE VOLANTE: À contratar

– Orientadores Socias – Equipe complementar do CRAS para desenvolver o trabalho com grupos e projetos sociais:

Professoras de Artes:

Maria do Socorro B. Viana
Gilvânia Elias de Queiroz Costa
Adilson Silva de Almeida
Eurides Alves Oliveira
Fabrícia Santos Silva
Isana Aparecida da Silva
Eufrásia G. Araujo
Amanda D. Mota
Alaíde Gomes Oliveira

Recreadora:

Maria Aparecida M. Santos

Auxiliar administrativo:

Dalila de Fátima Mota

Auxiliares de Serviços Gerais:

Rasângela Carvalho Silva
LiLian R. Pereira de Souza
Marizete G. Moreira

Serviços ofertados nos CRAS

*Projetos Sociais:

Pequeno cidadão – Atende 80 crianças de 07 a 12 anos de idade

Brinquedoteca – Atende16 crianças de 02 a 06 anos e 11meses sendo 8 em turno (matutino e vespentino)

Peti – Atende aproximadamente 40 crianças e adolescentes de 07 a 15 anos de idade

Projovem – 03 coletivos que atendem 25 jovens de 15 a17anos nas comunidades de Canabrava, Pitarana e S.S. de Poções.

Aprendendo a ser e conviver – 12 adolescentes de 13 a 14 anos de idade

Sopa pela vida – atendidas 100 famílias em situação de pobreza três vezes na semana.

Serviços socioassistenciais:

1 .Acolhida
2. Busca ativa
3. Cadastramento da família- Entrevistas
4 .Inserção no atendimento do PAIF- Programa de Atenção Integral á familia.
5. Visitas domiciliares
6. Palestras voltadas a comunidade ou afamilia, seus membros e individuos.
7 .Grupos de convivência e de trabalho socioeducativo
8. Campanhas socioeducativas
9. Encaminhamentos e Acompanhamento de familia, seus membros e individuos.
10. Produção de material para capacitação e inserção produtiva, para oficinas lúdicas e para campanhas socioeducativas, tais como videos, brinquedos, materias pedagógicos e outros destinados aos serviços socioassistenciais.( desenvolvido somente cartilha e folder).
11. Deslocamento da equipe para atendimento de familias em comunidade rural (equipe volante).
12. Acompanhamento familiar das familias em descumprimento das condicionalidades do PROGRAMA BOLSA fAMILIA.

Cadastro Único

O Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadastro Único) é um instrumento que identifica e caracteriza as famílias de baixa renda, entendidas como aquelas que têm:

– renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa ou
– renda mensal total de até três salários mínimos.

O Cadastro Único permite conhecer a realidade socioeconômica dessas famílias, trazendo informações de todo o núcleo familiar, das características do domicílio, das formas de acesso a serviços públicos essenciais e, também, dados de cada um dos componentes da família.

O Governo Federal, por meio de um sistema informatizado, consolida os dados coletados no Cadastro Único. A partir daí, o poder público pode formular e implementar políticas específicas, que contribuem para a redução das vulnerabilidades sociais a que essas famílias estão expostas. Atualmente, o Cadastro Único conta com mais de 21 milhões de famílias inscritas.

O Cadastro Único é coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), devendo ser obrigatoriamente utilizado para seleção de beneficiários de programas sociais do Governo Federal, como o Bolsa Família.

Famílias com renda superior a meio salário mínimo também podem ser cadastradas, desde que sua inserção esteja vinculada à inclusão e/ou permanência em programas sociais implementados pelo poder público nas três esferas do Governo.

Grupos de Convivência

– Grupo de idosos
Público-alvo – Pessoas com idade apartir de 60 anos, preferencialmente os beneficiários do Beneficio de prestação continuada – BPC e demais idosos.

*Montalvânia
*Pitarana
*Capitania
*São Sebastiao de Poções

Grupos de Mulheres:

– Publico- alvo: Familias em vulnerablidade social e beneficiariárias no Programa Bolsa Familía

Grupos de Convivência de Gestantes

-Público Alvo: Gestante no 1 trimestre de gravidez em vunerabilidade social e beneficiarias no programa Bolsa Familia

Grupos de convivência de Pessoas com Deficiência

Público- Alvo: Pessoas com deficiência e suas famílias e ou responsáveis legais. Prioritariamente aqueles beneficiários do BPC.

Projetos Municipais

Oficinas socioeducativas na sede e distritos.