Categories DIVERSOSMEIO AMBIENTE

MONTALVÂNIA RECEBE PHD EM METEOROLOGIA PARA FALAR SOBRE PERSPECTIVAS DE CHUVAS E INFLUÊNCIAS CLIMÁTICAS NA REGIÃO

Luiz Carlos Baldicero Molion é um meteorologista brasileiro, professor e pesquisador da Universidade Federal de Alagoas, PhD em Meteorologia e pós-doutor em Hidrologia de Florestas. Com 40 anos de experiência em estudos do clima no planeta, o meteorologista da Universidade Federal de Alagoas Luiz Carlos Molion apresenta ao mundo o discurso inverso ao apresentado pela maioria dos climatologistas.

O evento, realizado por empresas ligadas à agricultura e pecuária, teve a prefeitura como parceira.

O público-alvo foram produtores rurais de Montalvânia e de cidades da região como Manga e Juvenília, que lotaram o Auditório Juarez Espínola Guedes/Monte Lopino, na tarde desta quarta-feira (27).

O tema central da palestra foi as perspectivas de chuvas e influências climáticas na região com o objetivo de melhorar os resultados das safras.

Representante dos países da América do Sul na Comissão de Climatologia da Organização Meteorológica Mundial – OMM, Molion assegura que o aquecimento global não aconteceu por ação humana e que, o homem e suas emissões na atmosfera são incapazes de causar um aquecimento global.

Ele também diz que há manipulação dos dados da temperatura terrestre e garante: a Terra vai esfriar nos próximos 22 anos.

Clique aqui e veja entrevista completa com o pesquisador

 

 

VEJA MAIS
Categories DIVERSOSEDUCAÇÃOMEIO AMBIENTE

CRECHE LUCIANO FERNANDES MARINHO PROMOVE BLITZ ECOLÓGICA EM COMEMORAÇÃO AO DIA DA ÁRVORE

O Dia da Árvore é comemorado no Brasil em 21 de setembro e tem como objetivo principal a conscientização a respeito da preservação desse bem tão valioso.

Para comemorar a data e alertar as crianças sobre como cuidar e incentivar o plantio de árvores e os perigos do desmatamento a Creche Municipal Luciano Fernandes Marinho desenvolveu o Projeto Dia da Árvore, que terá sua culminância nesta quinta-feira (21) com uma Biltz Ecológica, saindo da Creche em direção à Praça Cristo Rei, passando pelo centro da cidade.

Logo após as crianças irão realizar o plantio de mudas no local em que está sendo construída uma nova creche municipal, no Bairro Novo Horizonte, próximo ao Campo do Projeto Gol Solidário.

Esta data deve ser vista como um dia de reflexão sobre nossas atitudes em relação a essa importante riqueza natural. Esse dia é muito mais do que o ato simbólico de plantar uma árvore e deve ser encarado como um momento de mudança de postura e conscientização de que nossos atos afetam as gerações futuras.

A árvore é um grande símbolo da natureza e é uma das mais importantes riquezas naturais que possuímos. As diversas espécies arbóreas existentes são fundamentais para a vida na Terra porque aumentam a umidade do ar graças à evapotranspiração, evitam erosões, produzem oxigênio no processo de fotossíntese reduzem a temperatura e fornecem sombra e abrigo para algumas espécies animais.

Além de produzirem alimento, as árvores também possuem outras aplicações econômicas. A madeira por elas produzidas serve como matéria-prima para a criação de móveis e até mesmo casas. A celulose extraída dessas plantas, principalmente pinheiros e eucaliptos, é fundamental para a fabricação de papel. Além disso, algumas espécies apresentam aplicabilidade na indústria farmacêutica por possuírem importantes compostos.

Em virtude da grande quantidade de utilizações e da expansão urbana, as árvores são constantemente exterminadas, o que resulta em grandes áreas desmatadas.

O desmatamento afeta diretamente a vida de toda a população, que passa a enfrentar erosões, assoreamento de rios, redução do regime de chuvas e da umidade relativa do ar, desertificação e perda de biodiversidade.

VEJA MAIS
Categories DIVERSOSMEIO AMBIENTE

Projeto Campo Limpo forma uma legião de multiplicadores de boas ações para cuidar do meio ambiente

Todos os pequenos e grandes agricultores do Brasil que usam agrotóxicos devem devolver as embalagens vazias em um ponto de recebimento. Para os agricultores de Montalvânia a unidade de devolução mais próxima fica em Mocambinho, no município de Jaíba, a 160 km de distância, e isso dificuldade o recolhimento.

Com o objetivo de criar um ponto itinerante na cidade para recolher o máximo possível de embalagens vazias de agrotóxico, o Instituto Mineiro de Agropecuária – IMA, em parcerias com as prefeituras de Montalvânia e Juvenília, desenvolveu o Projeto Campo Limpo, que, além da facilitar a entrega das embalagens para os agricultores, irá proporcionar um melhor equilíbrio ambiental, diminuindo o risco de contaminação dos rios e lençol freático e a proteção da saúde do homem do campo e da cidade, além de buscar a conscientização quanto ao comércio e o uso adequado de agrotóxico.

Conforme o coordenador do IMA em Montalvânia, médico veterinário Sérvio Túlio de Oliveira, desta forma pequenos e grandes produtores rurais estarão limpando suas propriedades e esvaziando seus depósitos temporários, diminuindo o risco de contaminação de seus funcionários e familiares bem como cumprindo a lei de uma forma menos onerosa não sendo necessário, ir a unidade de devolução em Mocambinho.

O projeto foi apresentado ao público na última quarta-feira (14), no Auditório Juarez Espínola Guedes, para grande número de produtores rurais, professores e representantes de diversas entidades de classe.

O Projeto Campo Limpo, além das prefeituras, reúne forças envolvendo parceiros como CODEMA, EMATER, InpEV, Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Bradesco, Secretaria de Educação, Escolas Estaduais e Municipais, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Associação dos Produtores Rurais, Associações Comunitárias, Igrejas, comércios, postos de combustível e imprensa.

O prefeito Dr. José Ornelas fez a abertura falando da importância de se cuidar da terra e dos rios, pediu mais cuidado dos produtores rurais no manuseio com agrotóxicos e aos professores municipais para que se transformem em multiplicadores de informações, transmitindo como devem ser os cuidados com o meio ambiente para as crianças e adolescentes do município e suas famílias.

O coordenador do IMA apresentou o projeto e esclareceu dúvidas do público.

A gerente da Associação de Revendedores de Produtos Agropecuários do Norte de Minas – Arpanorte, Maria Terezinha Ralo, explanou, de forma clara e objetiva, sobre o tema e disse que várias toneladas de material deverão ser recebidas na ação que acontecerá na sede da Associação Rural – Parque de Exposições Nestor Mesquita Martins Filho, do dia 10 ao dia 17 de julho.

Conforme Terezinha as embalagens serão levadas para a central de Montes Claros, gerenciada pela Arpanorte, e posteriormente encaminhadas para a destinação final, reciclagem ou incineração, pelo InpEV, instituto que representa a indústria fabricante de defensivos agrícolas para a destinação das embalagens vazias de seus produtos.

Para o comerciante de produtos agropecuários, Wesley Resende, o evento foi muito importante e a palestra bastante esclarecedora, pois abordou os riscos da utilização dos agrotóxicos e ensinou a forma correta de usá-los e como e onde descartar suas embalagens, além de fazer com que as pessoas sejam mais conscientes ao utilizar o produto.

– Se todos souberem usar a consciência e não jogar os vasilhames de veneno em qualquer lugar, vamos ajudar a nossa cidade e nosso rio Cochá viverem mais e melhor, declara Wesley.

Sérvio Túlio espera que, ao final do projeto aja uma devolução voluntaria de cerca de 2 a 3 caminhões de embalagens vazias, além de uma mudança de mentalidade quanto ao uso de agrotóxicos e afins de forma consciente e que não prejudique o meio em que vivemos.

– Isso proporcionará um campo mais limpo sem embalagens de agrotóxico oferecendo risco no campo e na cidade. O lençol freático estará mais protegido; os rios serão mais seguro quanto ao risco de contaminação por resíduos de agrotóxicos assim como toda a fauna. O projeto busca ainda uma conscientização de todos, tanto de produtores quanto de não produtores rurais, mostrando que todos fazem parte de um meio comum e que temos a responsabilidade de cuidar do mesmo fazendo cada um a sua parte, finaliza.

VEJA MAIS
Categories DIVERSOSMEIO AMBIENTEOBRAS

Professores municipais participam de oficina de fotografia

Professores municipais participam de oficina de fotografia como ferramenta para identificação de problemas ambientais

A Secretaria Municipal de Educação de Montalvânia em parceria com Instituto Tecnológico de Transporte e Infraestrutura da Universidade Federal do Paraná – ITTI, desenvolveu o projeto A Fotografia como ferramenta para identificação de problemas ambientais, oferendo orientação aos professores para a utilização da fotografia no cotidiano escolar com o objetivo de desenvolver a percepção ambiental através da fotografia e transmitir o que foi aprendido aos seus alunos.

Os docentes que participaram da oficina são oriundos da Escola Municipal de São José e da Escola Municipal de Pitarana.

Os conteúdos abordados foram:

• Apresentação e explicação da proposta de trabalho.
• Imagem x Linguagem
• Perspectiva e enquadramento
• Definição de Meio Ambiente
• Problemas ambientais
• Atividade prática (realização de registros fotográficos na região)
• Download de fotos da câmera digital.
Atividade de campo
• Experimentação da regra dos terços e a ideia de composição em ambiente próximo ao local de realização das oficinas.
Atividades pós campo
• Os professores deverão, em grupos de quatro, conversar sobre o que acham que encontrarão no local.
• Listar alguns aspectos que podem ser trabalhados em diferentes disciplinas.
• Organizar a principal mensagem que a dupla deseja transmitir com um conjunto de fotos (2 a 5) que comporão um pequeno ensaio fotográfico temático.
• Visitar livremente o local para criar composições fotográficas com a mensagem desejada produzindo as cinco fotos do ensaio proposto.
• Retornar ao local da oficina com acesso a computadores para que os professores façam o download das fotos.
• Explicações sobre como fazer download de fotos a partir da câmera digital.
• Seleção de fotos.

A partir da primeira seleção cada grupo argumentou sobre sua escolha relacionando a qualidade da foto e a composição fotográfica realizada, mencionando os aspectos ambientais que gostaria de abordar.

Este trabalho tem como objetivo levar aos alunos da Rede Municipal de Ensino a desenvolver práticas que mesclem a fotografia com o cuidado ao meio ambiente, despertando nos estudantes a consciência ambiental e fazendo com os mesmos passem a cuidar mais do lugar onde vivem.

Prefeitura de Montalvânia.Um Novo Tempo começou.

VEJA MAIS