Categories DIVERSOSMEIO AMBIENTE

Projeto Campo Limpo forma uma legião de multiplicadores de boas ações para cuidar do meio ambiente

Todos os pequenos e grandes agricultores do Brasil que usam agrotóxicos devem devolver as embalagens vazias em um ponto de recebimento. Para os agricultores de Montalvânia a unidade de devolução mais próxima fica em Mocambinho, no município de Jaíba, a 160 km de distância, e isso dificuldade o recolhimento.

Com o objetivo de criar um ponto itinerante na cidade para recolher o máximo possível de embalagens vazias de agrotóxico, o Instituto Mineiro de Agropecuária – IMA, em parcerias com as prefeituras de Montalvânia e Juvenília, desenvolveu o Projeto Campo Limpo, que, além da facilitar a entrega das embalagens para os agricultores, irá proporcionar um melhor equilíbrio ambiental, diminuindo o risco de contaminação dos rios e lençol freático e a proteção da saúde do homem do campo e da cidade, além de buscar a conscientização quanto ao comércio e o uso adequado de agrotóxico.

Conforme o coordenador do IMA em Montalvânia, médico veterinário Sérvio Túlio de Oliveira, desta forma pequenos e grandes produtores rurais estarão limpando suas propriedades e esvaziando seus depósitos temporários, diminuindo o risco de contaminação de seus funcionários e familiares bem como cumprindo a lei de uma forma menos onerosa não sendo necessário, ir a unidade de devolução em Mocambinho.

O projeto foi apresentado ao público na última quarta-feira (14), no Auditório Juarez Espínola Guedes, para grande número de produtores rurais, professores e representantes de diversas entidades de classe.

O Projeto Campo Limpo, além das prefeituras, reúne forças envolvendo parceiros como CODEMA, EMATER, InpEV, Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Bradesco, Secretaria de Educação, Escolas Estaduais e Municipais, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Associação dos Produtores Rurais, Associações Comunitárias, Igrejas, comércios, postos de combustível e imprensa.

O prefeito Dr. José Ornelas fez a abertura falando da importância de se cuidar da terra e dos rios, pediu mais cuidado dos produtores rurais no manuseio com agrotóxicos e aos professores municipais para que se transformem em multiplicadores de informações, transmitindo como devem ser os cuidados com o meio ambiente para as crianças e adolescentes do município e suas famílias.

O coordenador do IMA apresentou o projeto e esclareceu dúvidas do público.

A gerente da Associação de Revendedores de Produtos Agropecuários do Norte de Minas – Arpanorte, Maria Terezinha Ralo, explanou, de forma clara e objetiva, sobre o tema e disse que várias toneladas de material deverão ser recebidas na ação que acontecerá na sede da Associação Rural – Parque de Exposições Nestor Mesquita Martins Filho, do dia 10 ao dia 17 de julho.

Conforme Terezinha as embalagens serão levadas para a central de Montes Claros, gerenciada pela Arpanorte, e posteriormente encaminhadas para a destinação final, reciclagem ou incineração, pelo InpEV, instituto que representa a indústria fabricante de defensivos agrícolas para a destinação das embalagens vazias de seus produtos.

Para o comerciante de produtos agropecuários, Wesley Resende, o evento foi muito importante e a palestra bastante esclarecedora, pois abordou os riscos da utilização dos agrotóxicos e ensinou a forma correta de usá-los e como e onde descartar suas embalagens, além de fazer com que as pessoas sejam mais conscientes ao utilizar o produto.

– Se todos souberem usar a consciência e não jogar os vasilhames de veneno em qualquer lugar, vamos ajudar a nossa cidade e nosso rio Cochá viverem mais e melhor, declara Wesley.

Sérvio Túlio espera que, ao final do projeto aja uma devolução voluntaria de cerca de 2 a 3 caminhões de embalagens vazias, além de uma mudança de mentalidade quanto ao uso de agrotóxicos e afins de forma consciente e que não prejudique o meio em que vivemos.

– Isso proporcionará um campo mais limpo sem embalagens de agrotóxico oferecendo risco no campo e na cidade. O lençol freático estará mais protegido; os rios serão mais seguro quanto ao risco de contaminação por resíduos de agrotóxicos assim como toda a fauna. O projeto busca ainda uma conscientização de todos, tanto de produtores quanto de não produtores rurais, mostrando que todos fazem parte de um meio comum e que temos a responsabilidade de cuidar do mesmo fazendo cada um a sua parte, finaliza.

VEJA MAIS
Categories DIVERSOSMEIO AMBIENTEOBRAS

Professores municipais participam de oficina de fotografia

Professores municipais participam de oficina de fotografia como ferramenta para identificação de problemas ambientais

A Secretaria Municipal de Educação de Montalvânia em parceria com Instituto Tecnológico de Transporte e Infraestrutura da Universidade Federal do Paraná – ITTI, desenvolveu o projeto A Fotografia como ferramenta para identificação de problemas ambientais, oferendo orientação aos professores para a utilização da fotografia no cotidiano escolar com o objetivo de desenvolver a percepção ambiental através da fotografia e transmitir o que foi aprendido aos seus alunos.

Os docentes que participaram da oficina são oriundos da Escola Municipal de São José e da Escola Municipal de Pitarana.

Os conteúdos abordados foram:

• Apresentação e explicação da proposta de trabalho.
• Imagem x Linguagem
• Perspectiva e enquadramento
• Definição de Meio Ambiente
• Problemas ambientais
• Atividade prática (realização de registros fotográficos na região)
• Download de fotos da câmera digital.
Atividade de campo
• Experimentação da regra dos terços e a ideia de composição em ambiente próximo ao local de realização das oficinas.
Atividades pós campo
• Os professores deverão, em grupos de quatro, conversar sobre o que acham que encontrarão no local.
• Listar alguns aspectos que podem ser trabalhados em diferentes disciplinas.
• Organizar a principal mensagem que a dupla deseja transmitir com um conjunto de fotos (2 a 5) que comporão um pequeno ensaio fotográfico temático.
• Visitar livremente o local para criar composições fotográficas com a mensagem desejada produzindo as cinco fotos do ensaio proposto.
• Retornar ao local da oficina com acesso a computadores para que os professores façam o download das fotos.
• Explicações sobre como fazer download de fotos a partir da câmera digital.
• Seleção de fotos.

A partir da primeira seleção cada grupo argumentou sobre sua escolha relacionando a qualidade da foto e a composição fotográfica realizada, mencionando os aspectos ambientais que gostaria de abordar.

Este trabalho tem como objetivo levar aos alunos da Rede Municipal de Ensino a desenvolver práticas que mesclem a fotografia com o cuidado ao meio ambiente, despertando nos estudantes a consciência ambiental e fazendo com os mesmos passem a cuidar mais do lugar onde vivem.

Prefeitura de Montalvânia.Um Novo Tempo começou.

VEJA MAIS