Categories DIVERSOSMEIO AMBIENTE

Projeto Campo Limpo forma uma legião de multiplicadores de boas ações para cuidar do meio ambiente

Todos os pequenos e grandes agricultores do Brasil que usam agrotóxicos devem devolver as embalagens vazias em um ponto de recebimento. Para os agricultores de Montalvânia a unidade de devolução mais próxima fica em Mocambinho, no município de Jaíba, a 160 km de distância, e isso dificuldade o recolhimento.

Com o objetivo de criar um ponto itinerante na cidade para recolher o máximo possível de embalagens vazias de agrotóxico, o Instituto Mineiro de Agropecuária – IMA, em parcerias com as prefeituras de Montalvânia e Juvenília, desenvolveu o Projeto Campo Limpo, que, além da facilitar a entrega das embalagens para os agricultores, irá proporcionar um melhor equilíbrio ambiental, diminuindo o risco de contaminação dos rios e lençol freático e a proteção da saúde do homem do campo e da cidade, além de buscar a conscientização quanto ao comércio e o uso adequado de agrotóxico.

Conforme o coordenador do IMA em Montalvânia, médico veterinário Sérvio Túlio de Oliveira, desta forma pequenos e grandes produtores rurais estarão limpando suas propriedades e esvaziando seus depósitos temporários, diminuindo o risco de contaminação de seus funcionários e familiares bem como cumprindo a lei de uma forma menos onerosa não sendo necessário, ir a unidade de devolução em Mocambinho.

O projeto foi apresentado ao público na última quarta-feira (14), no Auditório Juarez Espínola Guedes, para grande número de produtores rurais, professores e representantes de diversas entidades de classe.

O Projeto Campo Limpo, além das prefeituras, reúne forças envolvendo parceiros como CODEMA, EMATER, InpEV, Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Bradesco, Secretaria de Educação, Escolas Estaduais e Municipais, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Associação dos Produtores Rurais, Associações Comunitárias, Igrejas, comércios, postos de combustível e imprensa.

O prefeito Dr. José Ornelas fez a abertura falando da importância de se cuidar da terra e dos rios, pediu mais cuidado dos produtores rurais no manuseio com agrotóxicos e aos professores municipais para que se transformem em multiplicadores de informações, transmitindo como devem ser os cuidados com o meio ambiente para as crianças e adolescentes do município e suas famílias.

O coordenador do IMA apresentou o projeto e esclareceu dúvidas do público.

A gerente da Associação de Revendedores de Produtos Agropecuários do Norte de Minas – Arpanorte, Maria Terezinha Ralo, explanou, de forma clara e objetiva, sobre o tema e disse que várias toneladas de material deverão ser recebidas na ação que acontecerá na sede da Associação Rural – Parque de Exposições Nestor Mesquita Martins Filho, do dia 10 ao dia 17 de julho.

Conforme Terezinha as embalagens serão levadas para a central de Montes Claros, gerenciada pela Arpanorte, e posteriormente encaminhadas para a destinação final, reciclagem ou incineração, pelo InpEV, instituto que representa a indústria fabricante de defensivos agrícolas para a destinação das embalagens vazias de seus produtos.

Para o comerciante de produtos agropecuários, Wesley Resende, o evento foi muito importante e a palestra bastante esclarecedora, pois abordou os riscos da utilização dos agrotóxicos e ensinou a forma correta de usá-los e como e onde descartar suas embalagens, além de fazer com que as pessoas sejam mais conscientes ao utilizar o produto.

– Se todos souberem usar a consciência e não jogar os vasilhames de veneno em qualquer lugar, vamos ajudar a nossa cidade e nosso rio Cochá viverem mais e melhor, declara Wesley.

Sérvio Túlio espera que, ao final do projeto aja uma devolução voluntaria de cerca de 2 a 3 caminhões de embalagens vazias, além de uma mudança de mentalidade quanto ao uso de agrotóxicos e afins de forma consciente e que não prejudique o meio em que vivemos.

– Isso proporcionará um campo mais limpo sem embalagens de agrotóxico oferecendo risco no campo e na cidade. O lençol freático estará mais protegido; os rios serão mais seguro quanto ao risco de contaminação por resíduos de agrotóxicos assim como toda a fauna. O projeto busca ainda uma conscientização de todos, tanto de produtores quanto de não produtores rurais, mostrando que todos fazem parte de um meio comum e que temos a responsabilidade de cuidar do mesmo fazendo cada um a sua parte, finaliza.

VEJA MAIS
Categories ASSISTÊNCIA SOCIALDIVERSOS

Prefeitura promove Fórum Municipal de Assistência Social

Promover o fortalecimento do Sistema Único de Assistência Social – SUAS é o objetivo do Fórum Municipal de Assistência Social de Montalvânia, que foi oficialmente lançado nesta segunda-feira (12) no Salão de Eventos da Praça de Esportes.

O Fórum é um espaço coletivo de organização politica dos usuários do SUAS e tem a finalidade de fazer a articulação política e o empoderamento dos usuários, bem como representa-los nas instâncias de discussão e controle social como no Conselho Municipal de Assistência Social – CMAS.

Nesta reunião os usuários indicaram entre si os candidatos e respectivos suplentes para concorrerem uma vaga no CMAS enquanto representantes da sociedade civil. A eleição acontecerá no dia 03 de julho, a partir das 8 horas, na Câmara Municipal.

Os Fóruns permitem encontros com maior frequência entre os trabalhadores, entidades e usuários da assistência social e o fortalecimento de espaços como os das conferências municipais de assistência social.

VEJA MAIS
Categories DIVERSOSMEIO AMBIENTEOBRAS

Professores municipais participam de oficina de fotografia

Professores municipais participam de oficina de fotografia como ferramenta para identificação de problemas ambientais

A Secretaria Municipal de Educação de Montalvânia em parceria com Instituto Tecnológico de Transporte e Infraestrutura da Universidade Federal do Paraná – ITTI, desenvolveu o projeto A Fotografia como ferramenta para identificação de problemas ambientais, oferendo orientação aos professores para a utilização da fotografia no cotidiano escolar com o objetivo de desenvolver a percepção ambiental através da fotografia e transmitir o que foi aprendido aos seus alunos.

Os docentes que participaram da oficina são oriundos da Escola Municipal de São José e da Escola Municipal de Pitarana.

Os conteúdos abordados foram:

• Apresentação e explicação da proposta de trabalho.
• Imagem x Linguagem
• Perspectiva e enquadramento
• Definição de Meio Ambiente
• Problemas ambientais
• Atividade prática (realização de registros fotográficos na região)
• Download de fotos da câmera digital.
Atividade de campo
• Experimentação da regra dos terços e a ideia de composição em ambiente próximo ao local de realização das oficinas.
Atividades pós campo
• Os professores deverão, em grupos de quatro, conversar sobre o que acham que encontrarão no local.
• Listar alguns aspectos que podem ser trabalhados em diferentes disciplinas.
• Organizar a principal mensagem que a dupla deseja transmitir com um conjunto de fotos (2 a 5) que comporão um pequeno ensaio fotográfico temático.
• Visitar livremente o local para criar composições fotográficas com a mensagem desejada produzindo as cinco fotos do ensaio proposto.
• Retornar ao local da oficina com acesso a computadores para que os professores façam o download das fotos.
• Explicações sobre como fazer download de fotos a partir da câmera digital.
• Seleção de fotos.

A partir da primeira seleção cada grupo argumentou sobre sua escolha relacionando a qualidade da foto e a composição fotográfica realizada, mencionando os aspectos ambientais que gostaria de abordar.

Este trabalho tem como objetivo levar aos alunos da Rede Municipal de Ensino a desenvolver práticas que mesclem a fotografia com o cuidado ao meio ambiente, despertando nos estudantes a consciência ambiental e fazendo com os mesmos passem a cuidar mais do lugar onde vivem.

Prefeitura de Montalvânia.Um Novo Tempo começou.

VEJA MAIS
Categories DIVERSOS

Prefeitura dá desconto de 20% no pagamento

Para que o cidadão fique em dia com o município a Prefeitura dá desconto de 20% no pagamento, até o dia 17 de julho, da parcela única do IPTU

IPTU é a sigla para Imposto Predial e Territorial Urbano, que é um imposto brasileiro cobrado das pessoas que possuem uma propriedade imobiliária urbana, como um apartamento, sala comercial, casa ou outro tipo de imóvel dentro de uma região urbanizada.

O objetivo principal do IPTU é controlar os preços das propriedades.

Alguns dos fatores que influenciam no cálculo para a definição do valor do IPTU de um imóvel é: o tamanho do terreno, a sua localização, o tamanho da área construída e a qualificação, que consiste na qualidade do acabamento desta construção.

O IPTU também tem uma função social muito importante, que consiste em evitar que grandes propriedades sejam mal utilizadas pelos donos, uma vez que, quando provado que a propriedade não está sendo corretamente aproveitada, o governo pode aumentar o IPTU, com o objetivo de fazer com que os proprietários vendam o imóvel, e assim torná-lo produtivo.

O IPTU vai para o caixa do Tesouro Municipal, para cobrir as despesas do município, como a realização de obras e manutenção de programas. A aplicação dessa verba vai atender às prioridades da Prefeitura, estabelecidas no orçamento municipal.

VEJA MAIS
Categories DIVERSOS

Prefeitura troca mais de 300 lâmpadas queimadas na sede, distritos e comunidades rurais, deixando o município mais iluminado e seguro

Para deixar o município mais iluminado, bonito e seguro a Prefeitura, através de adesão da Ata de Registro de Preço do município de Espinosa, firmou contrato com a empresa Norte Energia e Construções Ltda – NORTEC -,desta cidade, para realizar o serviço de iluminação pública em Montalvânia.

De abril até junho já foram trocadas mais de 300 lâmpadas no município. Na sede (Centro, bairros São José e Raimundo Ferreira, Vilas Guarabira e Dalila) foram trocadas 178 lâmpadas queimadas; nos distritos de Pitarana 39; Capitânia 34; São Sebastião de Poções 40 e na comunidade de Canabrava 34, totalizando 316 lâmpadas trocadas.

É de responsabilidade das prefeituras a iluminação pública do município. O custeio do serviço é garantido pela Taxa de Iluminação Pública paga pelos contribuintes e que está incluída na Conta de Luz.

Os valores recolhidos pela Cemig são depositados em uma conta que é administrada pelas Prefeituras e é utilizada para a manutenção e ampliação dos pontos de iluminação pública das cidades.

A população pode ajudar a melhorar a iluminação pública do município informando a Prefeitura sobre lâmpadas que não estejam funcionando de forma correta. Para isso, a administração disponibiliza dois telefones: 3614-1429 e 3614-1537.

Prefeitura de Montalvânia. Um Novo Tempo começou.

VEJA MAIS